Segunda-feira, 14 de Março de 2011

AVIVAR O VENTO

Ser matéria prima

em estrada de precipícios

dantescos abismos

de impecável qualidade

e condenável perigo

que aflora a crença

aquando, de escarpa tranquila,

convida à ilusão

em jardim idílico

que no Inverno cultiva Primaveras

e dos ais despontam quedas de água

fluindo pálidos odores a alecrim…

Talvez na ruga perdida

ouse avivar vento…

 

Edite Gil

(Registado no I.G.A.C.)

publicado por Edite Gil às 00:35
link | comentar | favorito

CONFESSO

Às palavras eu confesso

que me perco nas letras que as formam…

Perco-me no ar e no mar

no frio e no fogo

no erudito e no trivial

na busca incessante

na terra e no sonho

no eco perene…

Confesso às palavras

que me perco nas letras que as formam

e fico sem palavras…

 

Edite Gil

(Registado no I.G.A.C.)

publicado por Edite Gil às 00:33
link | comentar | favorito

VETUSTA PÁGINA

Busco paz e beleza

encontro tristeza e melancolia…

mal traçadas linhas

delineiam o coração…

rumo de luar em luar…

olhos de aurora

timbre de canora

enlaçar do crivo inquieto da memória

quanto tempo, tanto tempo, bruma, dentro de mim

há um vazio que se repete ecoa

bárbaro sentir nesta insula que habito

hora de oiro e de agoiro

prometida e anoitecida

pés de espinhos, roxos, doridos

em cálice de orvalho, sem luz celeste

sou pássaro sem fonte

e rumo ao Norte neste deserto árido

são menos os peixes do mar que a dor

a fogo, rumo para os ferros

gruta de praia que a onda, à bruta, faz

rude aragem nesta viagem

onde pranteio

amortalho o frio em ilusão de alma

chove!...

 

Edite Gil

(Registado no I.G.A.C.)

publicado por Edite Gil às 00:31
link | comentar | favorito

IGNOMÍNIOS VERBOS

Ignomínios verbos os do poema

onde se pranteia a dor

da tristeza inflamada

pela estrela atingível e não alcançada…

Livro sábio onde apodreço

de rebuscado pesar

onde pantanosas águas

erigem seu lar…

Rumando a parte alguma

a lugar de ninguém

na esperança que não se exuma

do calor que não se detém

em féretro se arruma

este ser de ninguém…

 

Edite Gil

(Registado no I.G.A.C.)

publicado por Edite Gil às 00:28
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

31


.posts recentes

. FIRMEZA

. ABONADO COLORIDO

. NOITE INVEJOSA

. AVESTRUZ

. SABOR DA LUZ

. ...

. MAR DISTRAÍDO

. ABANDONAI A NOITE

. SOLIDÃO

. ALTAS HORAS

. TROVADOR

. ERRANTE

. NADAR BEM !...

. VERSOS COM METÁFORAS

. A ALMA HABITUA-SE

. ORLAR DE CINTURA

. DÚVIDAS

. CAFÉ E WHISKY

. SOCALCOS DA ALMA

. TERNURA FEROZ

. SUSPIRO

. DELÍRIOS

. SILÊNCIO SILENCIOSO

. RELENTO

. CIRCUNSPECTO OU IMPRUDENT...

. MADRUGADA

. PALAVRAS DE VIDRO

. POEMAS DE PLÁSTICO, SEM C...

. FLORES NOVAS

. GOTAS

. MAR ALMIRANTE

. MUTILAR DO SONHO

. BRAÇOS DORIDOS

. PALAVRAS MUDAS

. CHAVE DICOTÓMICA

. AVIVAR O VENTO

. CONFESSO

. VETUSTA PÁGINA

. IGNOMÍNIOS VERBOS

. Lançamento do meu livro O...

. FADIGA

. SÓ NO DICIONÁRIO O SUCESS...

. REVOLTA

. TRIUNFO DA IRRACIONALIDAD...

. DEMANDA

. ENCRIPTADA

. AFIVELAR

. ESPERTINA

. POEMA VAZIO

. UMA ÁRVORE DE NATAL

.arquivos

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds